Big Banks estão com os dias contados, o Vale do Silício está chegando

Lendo a reação do JP Morgan ao novo mercado de crédito e pagamentos criado pelas startups do Vale do Silício, avisando que o "Vale do Silício está chegando", ficou bem claro para mim que eles não entendem muito bem o que está acontecendo. Basta ver como o banco pretende concorrer com as empresas de FinTech:

JP Morgan intends to combat the encroaching threat of techie lenders by working to make its services “as seamless and competitive as theirs,” he said. JP Morgan will also partner with these new lenders “where it makes sense,” he said.

Isso é sintomático, e acontece com toda empresa que está prestes a perder a sua posição de liderança no mercado que ocupa.

Os bancos too big to fail também são too big to change, e não vão conseguir concorrer com os serviços inovadores, baratos, e disruptivos das startups que estão invadindo o setor, e criando novas oportunidades de negócio, com sua extrema agilidade e eficiência.

Com isso, a próxima notícia que deve sair daqui alguns anos será mais ou menos assim:

CEO do "Big Bank of America" afirma que a abertura de novas contas e o volume de transações por meios tradicionais é a mais baixa em décadas.

A culpa é dos Mobile Payments, que substituíram as máquinas de cartão, os caixas de loja, e todo tipo de transação via cartão-de-crédito."O crowd-funding e o peer-to-peer lending ocupam agora o papel das financeiras."

O bitcoin e outras cryptocurrencies diminuiram o poder do Banco Central de influenciar as taxas de câmbio e definir algumas políticas monetárias, e cada vez menos pessoas pagam suas contas pelo internet banking.

"As instituições financeiras, algumas centenárias, estão sendo absorvidas pelo novo mercado de crédito e pagamentos. Outras passaram a atuar apenas no mercado empresarial", segundo o CEO.